Posts

Acidentes com motas e bicicletas

  • Não mova nenhuma vítima, a não ser que se encontre em perigo imediato.
  • Não remova os capacetes; deixe esse trabalho para os serviços de emergência. No entanto, se precisar de realizar ventilação artificial, liberte ou corte as correias e, com um ajudante, mantendo a cabeça e o pescoço apoiados e alinhados com a coluna, desloque cuidadosamente o capacete na direção do topo da cabeça.
  • Mantenha a vítima, na medida do possível, quente e confortável.

Ressuscitação de um bebé e de uma criança

Para crianças com mais de oito anos use a sequência de ressuscitação para adultos. Para bebés e crianças com menos de oito anos as sequências de ressuscitação diferem ligeiramente.

1.VERIFIQUE QUAISQUER RESPOSTAS

Num bebé: Para verificar as respostas de um bebé abane-o cuidadosamente pelos ombros. Chame-o pelo nome, se conhecido, para tentar provocar uma resposta.

Numa criança: Abane-a cuidadosamente pelos ombros; chame-a pelo nome, se conhecido, para tentar provocar uma resposta. Se estiver inconsciente, não haverá qualquer resposta.

2.ABRA AS VIAS AÉREAS E VERIFIQUE A VENTILAÇÃO

Num bebé: coloque um dedo debaixo do queixo e, com cuidado, eleve-o para abrir as vias aéreas. Verifique a ventilação. Se ventila, coloque-o em PLS: segure-a ao colo, de lado e com a cabeça inclinada para baixo.

Numa criança: coloque dois dedos debaixo do queixo e eleve-o para abrir as vias aéreas. Verifique a ventilação. Se ventila, coloque-a em PLS.

3. EXECUTE A VENTILAÇÃO ARTIFICIAL

Num bebé: remova quaisquer obstruções visíveis na boca. Levante o queixo da vítima e ajuste a sua boca simultaneamente à boca e ao nariz. Faça cinco insuflações de ventilação artificial.

Numa criança: atue como acima, mas ajuste a sua boca apenas à boca da criança. Faça cinco insuflações de ventilação artificial.

4. VERIFIQUE A CIRCULAÇÃO

Num bebé: verifique o pulso umeral no braço (ver à esquerda). Se o pulso estiver patente, continue as insuflações. Se não houver pulso ou este for inferior a 60, execute a RCP para bebés.

Numa criança: verifique o pulso carotídeo no pescoço. Se o pulso estiver patente, continue as insuflações. Se não houver pulso, execute a RCP para crianças.

5.COMECE A RCP

Num bebe: coloque dois dedos sobre a parte inferior do esterno. Pressione cinco vezes. Faça uma insuflação de ventilação artificial. CHAME UMA AMBULÂNCIA. Faça a RCP até chegar a ajuda.

Numa criança: coloque a base da sua mão sobre o tórax, como para um adulto. Pressione cinco vezes. Faça uma insuflação de ventilação artificial. CHAME UMA AMBULÂNCIA. Faça a RCP até chegar a ajuda.

Avaliação da circulação

A falência circulatória pode dar-se por dois motivos: o coração pode parar (paragem cardíaca) ou o volume de sangue circulante pode ser drasticamente reduzido (hemorragia).

Use os segundo e terceiro dedos para verificar o pulso carotídeo no pescoço; sinta-o durante pelo menos dez segundos. Se não houver pulso, o coração pode ter parado e é necessário executar imediatamente a RCP.

ABAAAAsygAK-1

RESSUSCITAÇÃO CÁRDIO-PULMUNAR (RCP)

RCP é a designação que se dá ao conjunto das manobras de ventilação artificial e de compressão cardíaca externa (CCE). Nunca execute a RCP numa pessoa a quem o coração ainda bate.

1.POSICIONE OS DEDOS NO TÓRAX

Ajoelhe-se ao pé da vítima, à direita ou à esquerda. Coloque o terceiro dedo no ponto onde as costelas se encontram e o segundo dedo acima do anterior.

2. COLOQUE UMA MÃO NO ESTERNO

Coloque a base da sua outra mão sobre o esterno, junto aos dois dedos. Este é o ponto do tórax onde irá aplicar pressão.

3. POSICIONE AS MÃOS

Sem mover a mão que está sobre o esterno coloque a outra por cima e entrelace os dedos, estabilizando as mãos em bloco.

4. BRAÇOS ESTICADOS NA VERTICAL

Estique os braços e coloque os ombros na vertical acima do esterno da vítima. Inicie as compressões; pressione para baixo cerca de 4 a 5 cm. Liberte a pressão à mesma velocidade da compressão, mas não retire as mãos do esterno.

5. ALTERNA AS COMPRESSÕES COM AS INSUFLAÇÕES

Faça 15 compressões; incline a cabeça para trás, levante o queixo e faça duas insuflações de ventilação artificial. Continue este ciclo de compressões e insuflações até à chegada de ajuda.
Se existirem sinais de recuperação, verifique novamente as vias aéreas, a ventilação e a circulação.