Para funcionarmos adequadamente, a temperatura corporal deve ser mantida entre os 36-37 °C. Para isso, temos de adaptar-nos a diferentes condições externas. Quando está frio, podemos reter e criar calor usando agasalhos e consumindo alimentos energéticos. Em ambientes quentes, o nosso corpo perde calor através da evaporação, a qual pode ser auxiliada com a ingestão abundante de líquidos ou com o uso de roupas frescas. A exposição aos extremos de temperatura lesa a pele e os restantes tecidos corporais.

Geladura

Surge quando as extremidades do corpo, por exemplo, os dedos, o nariz ou as orelhas, congelam devido a frio intenso. Pode ser acompanhada de hipotermia.

SINAIS E SINTOMAS

  • Picadas dolorosas seguidas de perda gradual de sensibilidade nas áreas atingidas.
  • Pele afetada fica endurecida e branca, depois azulada e finalmente negra.

Objetivo

  • Reaquecer lentamente a área afetada de modo a não agravar as lesões.
  • Obter assistência médica.

Necessitará:

  • Ligaduras ou pensos.

NÃO descongele um pé com uma geladura se for necessário andar.

NÃO aqueça uma geladura com uma fonte de calor localizado, por exemplo, com uma botija de água quente.

1.REMOVA QUAISQUER OBJETOS APERTADOS
Remova quaisquer objetos apertados sobre a área afetada, por exemplo, anéis, luvas ou botas.

2.AQUEÇA LENTAMENTE A ÁREA AFETADA
As áreas afetadas devem ser aquecidas lentamente. A vítima pode colocar as mãos debaixo das próprias axilas ou colocar os pés debaixo das suas axilas. Coloque um penso ou uma ligadura folgada. Mantenha a área afetada coberta até que a sensibilidade e a coloração retornem. LEVE OU ENVIE A VÍTIMA AO HOSPITAL.

Mais Termos Relacionados:, , geladura nos dedos do pé tratamento, cremes geladura frio, Sintomas de Geladura, Tratamentos para Geladura.

Hipotermia

Esta situação ocorre quando a temperatura corporal desce abaixo dos 35 °C por exemplo, em climas muito frios ou em expedições. É, normalmente causada pelo uso de roupas inadequadas em climas frios ou pela imersão prolongada em água fria. Pode também acontecer devido à permanência em quartos sem aquecimento. Os idosos e as crianças pequenas são grupos de maior risco; os idosos estão menos atentos às variações de temperatura e as crianças pequenas ainda não têm os mecanismos de termorregulação completamente desenvolvidos.

SINAIS E SINTOMAS

  • A vítima pode perder a consciência.
  • Tremor, pele muito fria e pálida.
  • Incoordenação, irritabilidade e discurso empastado.
  • Ventilação lenta, pulso fraco, apatia.

PARA UMA VÍTIMA INTRAMUROS

Objetivo

  • Parar a perda de calor corporal.
  • Reaquecer a vítima.
  • Obter auxílio médico.

Necessitará:

  • Roupas secas.
  • Bebidas quentes e alimentos energéticos.

1.SUBSTITUA AS ROUPAS MOLHADAS POR ROUPAS E AGASALHOS SECOS
Se a vítima foi trazida para dentro com roupas molhadas, substitua-as por roupas secas tão cedo quanto possível.

Se a vítima é jovem e bem constituída, poderá ser reaquecida tomando um banho. A água deverá estar à temperatura de 40 °C.

Se a vítima é idosa ou é uma criança pequena, reaqueça-a envolvendo-a em cobertores.

2.INSTALE A VÍTIMA NUMA CAMA E DÊ-LHES BEBIDAS QUENTES
Instale a vítima numa cama e dê-lhe bebidas quentes, sopa ou alimentos energéticos, como o chocolate. Para obter calor adicional cubra a cabeça da vítima sem perturbar as vias aéreas.
CHAME UM MÉDICO.

PARA UMA VÍTIMA EXTRAMUROS

Objetivo

  • Impedir que a temperatura a vítima continue a descer.
  • Aquecer a vítima.
  • Obter assistência médica.

Necessitará:

  • Saco de sobrevivência, saco cama ou cobertor.
  • Roupas quentes.
  • Bebidas quentes.

1.COLOQUE A VÍTIMA IMEDIATAMENTE EM REPOUSO
Paragem imediata e repouso. Não continue na esperança de descobrir um abrigo para a vítima. Isole-a com agasalhos extra.

Se tiver roupas secas disponível substitua todas as roupas molhadas pelas secas.

Se estiver mais alguém consigo peça-lhe para procurar ajuda.

2.ABRIGUE E ISOLE A VÍTIMA
Faça um abrigo para a vítima de modo a protegê-la dos elementos atmosféricos. Envolva-a num saco de sobrevivência, num saco cama ou num cobertor. Deite-a sobre material seco e isolante, como ure ou feto.

NÃO use uma botija de água quente ou um cobertor elétrico para tentar aquecer a vítima.

NÃO dê à vítima bebidas que contenham álcool.

3.SE POSSÍVEL, DÊ À VÍTIMA UMA BEBIDA QUENTE
Se possível, dê à vítima uma bebida quente, como leite, cacau ou sopa. Tranquilize-a e conforte-a.

Se a vítima perder a consciência, verifique a ventilação e coloque-a em PLS ou em decúbito lateral. Se necessário, execute a RCP.

4.PROCURE SINAIS DE GELADURAS
Se a vítima apresentar geladuras, trate-as adequadamente.

5.PROVIDENCIE O TRANSPORTE DA VÍTIMA
Providencie no sentido de transportar a vítima ao hospital – numa maca. Não deixe a vítima sozinha e não permita que ela ande.

Golpe de calor

Esta é uma situação causada pela perda significativa de água e sais minerais após sudação excessiva e prolongada.

SINAIS E SINTOMAS

  • Dores tipo cãibra e/ou dor de cabeça.
  • Pele pálida e húmida.
  • Pulso rápido e fraco.
  • Temperatura ligeiramente elevada.

Objetivo

  • Arrefecer a vítima.
  • Repor os fluidos e os sais minerais perdidos.

Necessitará:

  • Recipiente com água ligeiramente salgada.

1.DEITE A VÍTIMA
Ajude a vítima a deitar-se num local fresco. Levante-lhe as pernas para melhorar a circulação sanguínea.

2.DÊ À VÍTIMA BASTANTE ÁGUA
Dê-lhe a beber bastante água; se possível, coloque-lhe um pouco de sal. CHAME UMA AMBULÂNCIA.

Insolação

Esta situação, extremamente perigosa, ocorre quando o corpo é incapaz de se arrefecer através da sudação. Pode dever-se a doença febril ou à exposição a calor e humidade acentuados. É frequente em áreas tropicais, em surtos de calor nos climas temperados e particularmente, em indivíduos que se exercitam em condições de calor e humidade elevados.

SINAIS E SINTOMAS

  • Agitação.
  • Dor de cabeça e tonturas.
  • Pele quente e ruborizada.
  • Perda rápida de consciência.
  • Pulso forte e rápido.
  • Temperatura corporal elevada. Pode atingir os 40 °C ou mais.

Objetivo

  • Baixar a temperatura corporal da vítima o mais rapidamente possível.
  • Conduzir a vítima ao hospital.

Necessitará:

  • Lençol grande.
  • Borrifador ou jarro de água.
  • Ventoinha, de preferência, elétrica (manter afastada da água).

1.SE POSSÍVEL, ENVOLVA A VÍTIMA NUM LENÇOL HÚMIDO E FRIO
Deite a vítima num local fresco e remova-lhe as roupas. Se possível, envolva-a num lençol frio e húmido e tente mantê-lo assim. Em alternativa vá passando uma esponja com água fria ou tépida pelo corpo da vítima.

CHAME UMA AMBULÂNCIA.

2.REFRESQUE A VÍTIMA
Refresque a vítima com uma ventoinha até a temperatura oral descer aos 38 °C ou a temperatura axilar descer aos 37,5 °C.

3.SUBSTITUA O LENÇOL POR UM SECO
Quando a temperatura da vítima atingir valores seguros, substitua o lençol húmido por um seco.

4.VIGIE A VÍTIMA
Vigie a vítima até à chegada de ajuda.